Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




quarta-feira, 4 de março de 2015

Prêmio Nossa Biboca de Cinema 2015 (by Gian)



Na verdade eram pra ser dez filmes escolhidos, mas não deu. 2014 foi um ano muito bom pro cinema mundial, e na verdade eu poderia listar até 50 grandes nomes aqui, contudo, depois de muito sacrifício e sem querer deixar nada de fora, mas já deixando, elenco aqui com muita honra os quinze melhores filmes do ano passado. E o cobiçado prêmio “nossa Biboca de Cinema” de 2014 vai para:

1 - “Miss Violence” de Alexandros Avranas (Grécia) – É um filme pesado, confesso! Talvez o mais forte dessa lista, apesar de outros também fazerem frente a ele neste quesito. Todavia, o que mais me impressionou foi a habilidade do diretor em nos mostrar o drama de uma família massacrada por um pai/avô sádico e cruel que se aproveita de sua posição de “homem da casa” para fazer o mal como forma de prazer e poder. A cena que abre o filme é a do suicídio de uma menina de dez anos no seu aniversário.O sorriso nos lábios na hora do salto para a morte é o significado da liberdade de uma vida sem razão, que seus irmãos enfrentam e ainda vão enfrentar em diferentes estágios,  a cada dia, cada vez que se tornam mais velhos, tudo programado ao seu tempo, na escolha do chefe da casa. Uma família, que pelo fato de assim ser acaba encurralada num beco de difícil fuga, em que para outras famílias são pessoas normais, mas que se submetem a um monstro que com o passar dos anos conseguiu destruir qualquer tentativa de reação ou revolta. Usou do medo, da força, da covardia. E aqui estamos nós, diante de cenas tão revoltantes, mas não irreais. Onde ser do mesmo sangue pode significar vida pior que a de animal, sob a proteção de quatro paredes e um chefe de família – Nota 10.

2- “Carvão Negro, Gelo Fino” de Diao Yi’nan (China)
3- “Força Maior” de Ruben Östlund (Suécia)
4- “Leviathan” de Andrey Zvyagintsev (Rússia)
5- “Relatos Selvagens” de Damián Szifron (Argentina)
6- “O Médico Alemão” de Lúcia Puenzo (Argentina)
7- “Winter Sleep”de Nuri Bilge Ceylan (Turquia)
8- “7 Caixas” de Juan Carlos Maneglia (Paraguai)
9- “Tangerines” de Zaza Urushadze (Geórgia)
10- “O Grande Hotel Budapeste” de Wes Anderson (Reino Unido)
11- “Blue Ruin” de Jeremy Saulnier (EUA)
12- “Mil Vezes Boa Noite” de Erik Poppe ( Noruega)
13- “O Abutre” de Dan Gilroy (EUA)
14- “Acima das Nuvens” de Olivier Assayas (França)
15-“Yves Saint Laurent de Jalil Lespert ( França)

Nenhum comentário:

Postar um comentário