Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Nossos Terroristas (by Gian)

Nesse final de semana fui dar uma olhada mais detalhada nos documentos vazados da embaixada estadunidense, aqueles publicados pelo site WikiLeaks e traduzido por inúmeros sites nacionais, especialmente nas coisas que se referem ao Brasil. E constatei a importância que foi a derrota do candidato José Serra para o comando do nosso país, já que se trata de um dos conservadores mais puxa-sacos que temos na atual política em relação aos EUA, e que com certeza baixaria as guardas e deixaria os Ianques mandarem e desmandarem nas decisões internas brasileiras.

Depois que Bin Laden derrubou as torres gêmeas, os EUA tentam impor ao mundo uma política legislativa de intenso combate ao terrorismo, como se todos os países tivessem que se preocupar como eles se preocupam, ou como se todos nós saíssemos por aí bombardeando países em busca do petróleo alheio.

Os documentos vazados pelo WikiLeaks mostram os EUA interessados na aprovação de um projeto de leis para enquadrar qualquer tipo de manifestação social em terrorismo.
O texto dessa legislação, baseado nos moldes de um projeto norte-americano, tem como objetivo principal à tipificação do crime de terrorismo no Brasil, e de como o nosso país deve proceder para enfrentar esse tipo de delito.

O engraçado nessa história toda é que o projeto de lei foi criado, entre outros órgãos, pelo Creden (Câmara das Relações Exteriores e Defesa Nacional), cujo presidente é o conservador General Jorge Armando Félix, que conseguiu elaborar o seguinte absurdo normativo:

Artigo 1º - “Os crimes previstos nesse título serão punidos quando cometidos com a finalidade de infundir estado de pânico ou insegurança na sociedade, para intimidar o Estado, organização estadual ou pessoa jurídica, nacional ou estrangeira, ou coagi-los à ação ou omissão”.

Desculpem o palavrão, mas Puta merda!!!
Se uma coisa dessas fosse aprovada, qualquer grevezinha de reajuste salarial poderá ser enquadrada em ato terrorista. Movimentos estudantis na busca por melhorias em transportes, atos do MST pelo direito constitucional da Reforma agrária, humoristas do CQC entrando em prefeituras para informar irregularidades e et cetera, tudo isso é terrorismo de acordo com o projeto.
Graças a Deus, o projeto declinou.

Agora se sabe que os embaixadores estadunidenses ficaram bem chateados com isso. De acordo com documentos publicados por Julian Assange no site Wikeleaks, houve insinuações no governo dos EUA de que a então chefe da casa civil Dilma Rousseff foi a principal responsável pela articulação que derrubou o projeto de lei antiterrorista.

Agora com Dilma na presidência ficará mais difícil essa tentativa de acabar com movimentos sócias. Mas vão continuar tentando, isso é fato.
E que a Wikeleaks continue postando mais e mais coisas, esse tipo de fofoca me interessa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário