Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




sábado, 7 de janeiro de 2012

Inquietos (by Fabi)



video


Do aclamado diretor Gus Van Sant, de obras primas como Gênio Indomável e Milk, Inquietos , à princípio me fez pensar no seguinte: de que eu ainda não tinha visto a morte ser tratada com tanta leveza, tanta delicadeza, quase com indiferença, no cinema. Mostra a morte, que permeia praticamente todas as cenas do filme, o amor, fantasmas, mas sem os clichês, ou o pieguismo de filmes como Ghost, Tudo por Amor e outras coisas açucaradas que vemos por aí. Annabel, doente em fase terminal de câncer e ciente dos poucos meses que lhe restam, feliz por essência, com fome de vida, conhece Enoch, rapaz depressivo, que sempre em companhia de seu amigo imaginário/fantasma Hiroshi, piloto Kamikase da 2ª Guerra Mundial, torna-se visitante assíduo de velórios de desconhecidos e que ao contrário de Annabel perdeu o gosto e o respeito pela vida após a morte de seus pais num acidente de carro. Sem grandes segredos ou revelações surpreendentes, a história se desenrola com uma delicadeza particular, sem a pretensão de causar lágrimas de tristeza ou nos deixar com aquele vazio peculiar no final em filmes do gênero. Gus Van Sant nos envolve de forma distinta e com graça juvenil em Restless (Inquietos).



Anda faltando meiguice e doçura em sua vida? Assista à Inquietos!

2 comentários:

  1. O final do filme é a coisa mais fofa do mundo.

    ResponderExcluir
  2. Sim, em meio à muitos Cheetos, Ruflles, Doritos e batatas fritas.... Adoroooooooooo!!!!

    ResponderExcluir