Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




domingo, 24 de fevereiro de 2013

É hoje!!! (by Fabi)


Muito embora, em minha opinião, seja uma noite sem muitas surpresas, Oscar é Oscar! Sempre!
Muito glamour, muita beleza e oscarizáveis passando pelo suntuoso tapete vermelho e obviamente, que muito talento também!
É muito cult encher a boca e dizer que só curte Cannes, Montreal, Sundance, Berlin, mas cinéfilo de verdade é eclético com relação aos festivais.
Então vamos lá!!! Como já assisti a todos os candidatos a melhor filme e melhor filme estrangeiro, darei minha humilde opinião amadora.

Filme

"Indomável sonhadora"
"O lado bom da vida"
"A hora mais escura"
"Lincoln"
"Os Miseráveis"
"As aventuras de Pi"
"Amour"
"Django livre"
"Argo"


Filme estrangeiro

"Amour" (Áustria)
"No" (Chile)
"War witch" (Canadá)
"O amante da rainha" (Dinamarca)
"Kon-tiki" (Noruega)


Os Miseráveis, p/ mim, é barbada! Filme de Oscar, pra Oscar. Não é o meu preferido, obviamente, já que não sou fã de musicais. Mas é quem eu acho que leva. Indomável Sonhadora é muito bom, e trata de assuntos que americano não gosta muito: miséria, problemas sociais em geral. A hora mais escura, por outro lado, já trata de um assunto que faz a cabeça do Tio Sam: a caçada e a morte do terrorista Osama Bin Laden. Lincoln é uma aula de história americana, mas vale a atuação de Daniel Day Lewis que deve abocanhar mais uma estatueta p/ sua coleção. As aventuras de Pi é muito Sessão da Tarde pro meu gosto, mas dá p/ assistir, até pq Ang Lee não faz filme ruim. Django é um dos melhores do Tarantino, na minha opinião. Gostei muito. Na verdade inaugurei a sessão em Niterói ao lado de um Tarantinófilo. Fazer o que...Coisa de cinéfilo. Argo é o mais fraco de todos, mas ponto para Ben Afleck, que começa a alçar voos maiores! E agora os meus preferidos!!! Minha torcida dividida vai para: a zebra da premiação O lado bom da vida e o tocante Amour!!! O primeiro encanta, emociona e diverte. Tudo em um só filme. Uma comédia romântica com pitadas de drama. Quer combinação melhor?
E o que dizer de Amour? Fora o que meu amado Gian já escreveu na postagem anterior aqui no blog, só posso dizer que é comovente, legítimo e intimista demais. A atriz Emmanuelle Riva, que concorre na categoria de melhor atriz e completa 86 anos no dia da premiação, bem que poderia ser presenteada!! Torço pelos dois, muito embora a previsibilidade do quem seja o vencedor me aborreça.
Em se tratando de cinema estrangeiro no Oscar, o chileno No não empolga e Kon Tiki achei cansativo, apesar da boa história. O amante da rainha e A feiticeira da guerra são muito bons, mas acho que não haverão grandes surpresas. Amour de Michael Haneke leva fácil. Bom, assim espero.
Agora é só aguardar!
Quem viver, verá!!!

Bom Oscar!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Também amo o glamour que o Oscar transmite, mesmo soando comercial e previsível, na maioria das vezes. Mas é como você disse: quem gosta de cinema, gosta do Oscar e os outros festivais, por mais cultuados e elitizados, não possuem toda aquela áurea que só Hollywood tem. Não vi todos os filmes concorrentes ao Oscar, não tive paciência para "As aventuras de Pi"( muito 3d, muito Disney, apesar de ser Ang Lee), ainda faltam "Lincoln" e "Os miseráveis"( daqui a pouco sessão aqui em casa com momy), mas também posso dar meus pitacos. O Oscar realmente deve ir para "Os miseráveis" ou "Lincoln", que são filmes oscarizáveis. Estou no mesmo impasse que você: "O lado bom da vida" é encantador, simples sem ser simplista, mas "Amor" é tocante demais. Lembro da sensação de angúsita, de dor ao assistir o filme. Bons filmes são assim: o telespectador vivencia o drama junto com os personagens. Nos resta agora é sentar frente à TV, desde o Red Carpet até o finalzinho, comendo um balde de pipoca e torcendo como se fosse final de Copa do Mundo.

    ResponderExcluir
  3. Os Miseráveis merecerá cada estatueta! É um musical extraordinário, como há muito não se via no cinema.

    ResponderExcluir