Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Desunião (by Gian)

Dos relacionamentos sempre tiramos algo proveitoso, mesmo que nosso companheiro não seja o adequado para aquele momento da nossa vida. Tem pessoa que quando se separa guarda rancores terríveis da relação, analisando o tempo de convivência como uma perda total do mesmo, evitando ver o antigo aliado que há poucos meses era o grande amor da sua vida.
Com raríssimas exceções, o que leva um casal a brigar são sempre os mesmo fatores, “aquilo que você me escondeu, aquilo que você não entendeu, aquilo que não deu certo, aquilo que foi mal interpretado...”, as pessoas não conseguem pensar que o acúmulo dessas adversidades no período de namoro, noivado e primeiros anos matrimoniais são perfeitamente normais em toda união, e se dessa vez não deu certo, as mesmas figuras voltarão em breve, nas mesmas características em que se deram nos momentos anteriores. Essa linha divisória estabelecida nos momentos difíceis é a mesma linha de junção em que irão se apoiar para tentar restabelecer a relação.
São duas vidas inteiras e independentes, cheias de pontos de vistas diferentes, culturais, emocionais e sexuais. Duas massas de modelar compostas de substâncias bem diversas que estão postas na mesa, loucas pra serem moldadas numa só, unificadas pra assim permanecerem. Contudo, quando o destino traz dificuldades maiores que prazeres, que tenhamos pelo menos o sentimento de levar dali o positivo, e que aquele mal estar que se revira dentro de nós em momentos que procedem ao término fique ali sufocado pelas belas recordações dos momentos felizes da união.

Nenhum comentário:

Postar um comentário