Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




terça-feira, 28 de setembro de 2010

Paixão (by Fabi)

Soneto de Fidelidade

Vinicius de Moraes

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.



Vinicius de Moraes, "Antologia Poética", Editora do Autor, Rio de Janeiro, 1960, pág. 96.



Começo meu post hoje, com estes lindos versos de meu poeta preferido: Vinícius de Moraes, que cantou e escreveu sobre o amor, como poucos. Não o amor idealizado dos exageradamente romanticos, mas o amor que queima, que arde no peito, que sai pelos poros, de maneira visceral e intensa. Intenso e fugaz como a vida. Existe coisa mais surreal do que estar apaixonado? Do que amar alguém?
Quando estamos apaixonados, expomo-nos ao medo, à desilusão, à insegurança, aos riscos que só a paixão nos leva a correr...
Exageramos naquilo que queremos ver e reduzimos a nada aquilo que não queremos enxergar... Porém, não há nada mais gratificante do que receber, depois de um cansativo dia de trabalho, o telefonema tão aguardado, do que ver o sorriso do outro se abrindo em sua direção, do que o beijo que mata a saudade, a mão que toca a pele buscando um carinho, as palavras e juras de amor que só os apaixonados trocam...
Apesar de toda a sua fugacidade, a paixão é sempre bem-vinda! A vida sem paixão torna-se incolor e vazia, completamente sem graça.
Pode-se dizer que vive-se o céu e o inferno ao se apaixonar. Loucura e sanidade andam de mãos dadas. Quem nunca se apaixonou? Quem nunca perdeu a cabeça por uma grande paixão? Que atire a primeira pedra aquele que nunca esteve submersso nessa aguardente e nunca quis curar sua embriaguez! Apaixonar-se é saudável. É importante para o corpo ser invadido por todas as substâncias que só os que estão apaixonados liberam... Essa fusão/paixão faz com que o cérebro libere neurohormônios que nos trazem aquela sensação gostosa de felicidade...
Estar apaixonado libera endorfina. Sabe aquela mesma sensação de prazer e bem-estar que vc sente ao comer chocolate? Pois é....É a mesma!!! Que nos torna viciados, que nos entorpece. Ahhh os hormônios... Benditos hormônios...
Equilibrando-se na linha tênue que a divide entre simples passatempo e coisa duradoura, a paixão traz mais benefícios do que danos.
Então... Relaxe e apaixone-se! Pois como já dizia o poeta citado acima:

"Que não seja imortal posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure..."

Um comentário: