Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Exceções (by Gian)

Tudo é mais complicado do que nós pensamos, ou talvez bem mais simples, depende do pondo de vista.
Assistimos apenas uma mínima porcentagem da verdade. Existe um bilhão de pequenas coisas anexadas a cada escolha que fazemos. Nós podemos destruir nossa vida tão somente por uma escolha, mas provavelmente não saberemos por dez anos; e talvez jamais localizemos a fonte. E tivemos apenas uma chance de jogar isso fora.
O destino existe, é o que você cria. O nosso planeta também existe, o universo não é uma ficção, vai continuar existindo por eras e eras como sempre foi, você está aqui apenas por uma fração de uma fração de segundo, e a maior parte do seu tempo você está morto ou ainda não nascido. Mas enquanto está vivo você espera em vão, desperdiçando anos por um telefonema, ou uma mensagem, ou um olhar de alguém ou alguma coisa para fazer que tudo de certo, que faça sentido. E isso nunca vem, parece vir, mas nunca chega realmente. Então você passa seu tempo em vago arrependimento ou vaga esperança de que alguma coisa boa virá adiante, qualquer troço para fazer você se sentir conectado de novo com a vida, pra te fazer sentir inteiro.
E a verdade é que por muito tempo agente apenas finge estar tudo nos trilhos, apenas para seguir adiante; e também porquê ninguém suporta ouvir sobre nossos sofrimentos, porquê eles também têm os seus próprios, e a recíproca nesse caso é verdadeira.

O que estava antes com você, um excitante e misterioso futuro, está agora atrás de você, vivido, entendido, decepcionante. Você percebe que não era especial. Você tem lutado por sua existência e agora desliza silenciosamente pra fora dela.
Essa é a experiência de cada um de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário