Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Nosso Lula ( by Gian)


Faltam menos de 48 horas para que Luiz Inácio Lula da Silva deixe de ser presidente do Brasil. Sua despedida ao povo se deu no último dia 23 em rede nacional, onde discursou emotivamente por mais de dez minutos: "Se governei bem, foi porque, antes de me sentir presidente, me senti sempre um brasileiro comum que tinha que superar as suas dores, vencer os preconceitos e não fracassar. Se governei bem, foi porque, antes de me sentir um chefe de Estado, me senti sempre um chefe de família."

Lula sai do poder com índices opostos em relação aos ex-presidentes brasileiros,ou seja, se despede com taxas elevadas de desaprovação da mídia, e com uma altíssima e histórica taxa de 82% de aprovação da sociedade.

Lula, grande Lula, ex-torneiro mecânico, nordestino de baixa escolaridade, driblou o provável destino ao escapar de Pernambuco para São Paulo como migrante pau de arara.
Fundou o Partido dos Trabalhadores, hoje um dos maiores do país. Foi preso na ditadura por suspeita de práticas tidas como subversivas. Havia uma evidencia sólida, uma barba cerrada, naquele líder operário que subia nos caixotes de madeira e gritava para sua classe que a pobreza é um fato coletivo a ser solucionado e não simplesmente evitado. Era de novo preso sob aplauso de muitos patrões.

Lula que nunca desistiu. Derrotado nas urnas três vezes era sempre o concorrente absolutamente improvável, pois por preconceito, para governar um país tão grande só podia ter acesso os com diploma universitário.
Os doze advogados, os dois militares, um economista, um médico e um intelectual, agora terão como parceiro de ex-presidência um torneiro-mecânico que governou melhor, e mais, tornou-se um protagonista brasileiro no século XXI.

Lula, nosso presidente-operário que tirou trinta milhões de família da miséria absoluta, que criou um novo parâmetro no processo de desenvolvimento do Brasil: é possível crescer distribuindo renda. Que surpreendeu os adversários que achavam que o “analfabeto-nordestino jamais vai passar dos primeiros anos, haverá logo um impeachment”, e que fez o melhor governo dos cento e onze anos da república, está se despedindo de nós. Sai com a cabeça erguida para entrar para história e para o coração do povo brasileiro.

Valeu Lula!

"Saio do governo para viver a vida das ruas. Homem do povo, que sempre fui, serei mais povo do que nunca, sem renegar o meu destino e jamais fugir à luta” ( Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil).

Nenhum comentário:

Postar um comentário