Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




sábado, 12 de novembro de 2011

The end? (by Fabi)

Com o advento da Internet, seguido de suas facilidades de downloads, alguém um dia poderia ter dito que seria o fim do cinema. LEDO ENGANO! Na década de 80 aconteceu o mesmo com o surgimentos das maravilhosas video-locadoras, verdadeiros paraísos para nós, cinéfilos de plantão, Achava-se que a frequência aos cinemas diminuiria. Na década de 90, com o DVD e Home Teater não foi diferente: "Uau alta tecnologia, verdadeiro cinema em casa!" Óbvio, que assistir a um filme em casa, munido de um balde gigantesco de pipoca e um copão de Coca-Cola, com a turma ou "alguém especial", também é uma idéia altamente atraente. Porém, aviso aos pão-duros de plantão (que têm todo direito à indignação, haja visto o valor das entradas do cinema), que as telonas ainda ficam em primeiríssimo lugar como entretenimento de final de semana. Tanto para as crianças, os namorados, os solitários, os "sem-nada-para-fazer" e os amantes da 7ª arte.
N-A-D-A nunca substituirá o apagar das luzes, a telona acendendo devagarinho, as pessoas se acomodando nas poltronas, as pupilas dilatando-se, é um momento em que vc, definitivamente, esquece o mundo lá fora, pq começa a participar de outro. E isso, meus caros amigos, não acontece no seu sofá de couro caro, tão pouco em sua cama Box King Size, confortabilíssima. Isso é coisa de cinema!!
E desde seu surgimento, com os irmãos Lumiére, quando as pessoas correram quando viram uma locomotiva avançar em sua direção através das telas, que ele emociona, entrete, educa, coscientiza. O que dizer do cinema mudo? Preto e branco? Numa época em que não haviam tantos recursos, onde Spielberg ainda não nos afetava com seus efeitos surreais, o cinema já fazia história e nos deixava legados. Foi usado pela alemanha nazista durante a guerra, para mostrar o quanto era perfeito ser alemão, onde todo um país cria fielmente que era uma dádiva fazer parte de tudo aquilo. Verdadeiros documentários pré e pós guerra. Os americanos tornaram-se mestres nessa arte que tanto amamos, arte esta que evoluiu até países como Vietnã, Israel, Índia, Dinamarca e confins da terra... Sabe pq? Pq ao contrário do pensam ou desejam, o destino do cinema está muito, mas muito longe do fim. Ele se expande, agrega, abrange a todos, apesar do alto valor das entradas (repito pq também quero protestar).
Sabe-se lá o que é ver o entusiasmo de uma criança, pobre, que não tem acesso a coisas que p/ nós são tão corriqueiras como ir ao cinema, por exemplo, contar p/ vc como foi seu final de semana, na "Hora da Novidade" na escola e ver em seus olhos um brilho contagiante pq ela foi ao CINEMA pela primeira vez?? E abrir os pequenos bracinhos para mostrar o quão grande era a "televisãozona" de lá? E que tem uma hora que fica tudo escuro e a "televisãozona" acende e tem que ficar quietinho, pq não pode falar?

"E aí, quando acaba o filme, tem que ir embora, mas que dá a maior peninha, tia, pq eu adorei lá!!!!"

Só entende isso tudo aí, quem realmente acha o cinema insubstitível, como eu...










4 comentários:

  1. Caraca, lembro a primeira vez em que fui ao cinema. Fui ver a um filme dos trapalhões. Os Saltibancos Trapalhões. A sensação é única mesmo! Queremos entradas mais baratas!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Fabiiiiii adorei!!!! Tenho lindas lembranças de quando era pequena e ia ao cinema com meu pai. Cinema é tudo de bom mesmo!!! Saudades de você! Beijão! Marcinha

    ResponderExcluir
  3. Não sei como escrever e fazer aparecer a foto, rsrsrsrsrs. Beijos! Marcinha

    ResponderExcluir
  4. Ohhh querida, obrigada! Também sinto saudades! Beijos!

    ResponderExcluir