Sejam Bem-vindos

Ideia, cinema, literatura, opinião, crítica, política, Direito, dia-a-dia - Um espaço para escrever, relaxar e soltar o verbo.
A preocupação é deixada de fora.


Sinta-se em casa!




terça-feira, 24 de agosto de 2010

Simples (by Fabi)



Os beijos, com os quais vc me desperta pela manhã, ainda queimam minha pele.
As palavras doces que vc sussurra em meus ouvidos ainda ecoam. Não quero deixar de ouvi-las. Preciso ouvi-las e remoer cada sílaba no decorrer do meu dia.
Quando me tocas ocasionalmente, qualquer outra intenção que não seja estar sob o teu corpo, torna-se banal e corriqueira. É lá que eu quero estar. Incrustada em vc, como as algas nas pedras que beiram o mar. Misturando o meu cheiro no teu. Cheiro ácido, cheiro de guerra, cheiro de luta. Unindo minhas secreções às suas. O peso do corpo na pele frágil, a força da masculinidade desvencilhando qualquer obstáculo. Mãos fortes que teimam em violar, explorar...Embolando seus dedos em meus cabelos, provando o gosto da pele marrom. Fazendo de nossos gritos e sussurros uma melodia. Isso é música para os meus ouvidos. Eu não quero parar. Parar pra que? Isso é tão necessário qto respirar. É uma loucura necessária.
Boca, seios, pernas, sexo, colo, tudo lateja, adormece, entorpece. Corpo retesado de desejo. Cerram-se os olhos. Fixam-se os olhos, encaixam-se os corpos. É como morrer e nascer de novo, só que num parto diferenciado, ser gerado no âmago do prazer e vir ao mundo nos braços de alguém. Não há medo, sombra, nem escuridão. Apenas expectativas. É tudo tão descomplicado, tão simples...
É, é tudo muito simples. É química, calor, estupor, é amor!
É isso que torna a vida mais aceitável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário